Contos do Zé

O Zé do conto, não chama Zé.
Zé é só porque muita gente chama Zé.
E quando você chama Zé, sempre tem alguém pra responder.
Ai | Comer | Final do Expediente | Angela | desafios | Índole | Hoje | Profissional | Rede
Voltar para o site
Índole

 

Pedro: Você é muito linda mas…
Pedra: Mas o que? Você não gosta de mim? Me acha feia? Pode falar.
Pedro: Te achar feia? Obvio que não. Eu não sou cego.
Pedra: Então qual o problema?
Pedro: O problema é comigo.
Pedra: Que clichê. Você não tem mais idade para esse tipo de frase.
Pedro: É exatamente isso. Não tenho mais idade.
Pedra: O que você quer dizer?
Pedro: Idade. Não tenho mais.
Pedra: Você me acha muito nova? É isso?
Pedro: Não. Eu me acho muito velho pra você que é muito nova.
Pedra: Que bobagem. Isso é preconceito.
Pedro: Não é.
Pedra: É.
Pedro: Você é como um jardim a ser plantado. E eu sou um péssimo jardineiro.
Pedra: Que? Não entendi.
Pedro: Viu. É isso.
Pedra: Isso o que?
Pedro: Vou tentar explicar de outro jeito.
Pedra: Por favor.
Pedro: Você é como um celular novo. Sem nenhum app instalado. E eu sou
péssimo em instalação de apps.
Pedra: Ah. Continuo sem entender mas tudo bem.
Pedro: Ainda bem.
Pedra: Então, vamos lá pra casa hoje a noite? Meus amigos estarão lá.
Pedro: Vocês vão fazer o que?
Pedra: Sei lá. Conversar. Ouvir música. Fumar maconha. Beber.
Pedro: Então eu vou para beber.
Pedra: hahahah que bobo.
Pedro: Se eu bebo eu consigo conversar, ouvir suas músicas. Fumar maconha já não quero.
Pedra: Você precisa beber pra ficar comigo?
Pedro: Pra ficar não. Mas pra conversar, ouvir música e conhecer seus amigos…ajuda um pouco.
Pedra: Então tá. Vai as lá pelas dez lá pra casa.
Pedro: ok. Tem que levar alguma coisa.
Pedra: O pessoal vai levar vinho, catuaba e cerveja.
Pedro: Legal. Nos vemos mais tarde.
Pedra: Dá um beijo aqui.
Pedra beijo Pedro.
Pedro ( ao telefone ): Zé, caralho. Aquela menina ainda tá atrás de mim.
Zé ( ao telefone ): Come ela logo, porra. Virou viado?
Pedro ( ao telefone ): Não porra. Mas ela é muito novinha. Me sinto mau.
Zé ( ao telefone ): Quando você estiver com o pau dentro dela você me liga e me diz se vai estar
se sentindo mau.
Pedro ( ao telefone ): Vou encontrar ela e uns amigos dela na casa dela hoje as dez. Vem comigo.
Zé ( ao telefone ): O que vai ter lá? Vai ter alguma amiga sobrando por lá?
Pedro ( ao telefone ): Acho que vai.
Zé ( ao telefone ): Porra, bora então.
Pedro ( ao telefone ): Ela marcou as dez. A molecada vai levar umas biritas.
Zé ( ao telefone ): Então passa aqui em casa as oito. A gente toma umas cervas e já chega no grau.
Pedro ( ao telefone ): Beleza. Até
Zé ( ao telefone ): Valeu.
Desligaram o telefone.
Só pra deixar claro que o Zé na conversa sou eu. Meu nome não é Zé mas você já sabe disso.
E foi com essa conversa que o Pedro, Pedro é o verdadeiro nome do Pedro, me convidou para ir
na casa da menina e eu fui. A menina não chama Pedra mas achei o melhor nome para usar aqui. E foi assim que eu participei de uma suruba com pessoas bem, mas bem
mais novas que eu.
O Pedro foi embora.

25/07/2016